Búzios entra na luta contra as Hepatites Virais Campanha será realizada a partir do dia 7 de agosto

Búzios entra na luta contra as Hepatites Virais Campanha será realizada a partir do dia 7 de agosto

A partir do dia 7 de agosto, a Prefeitura de Búzios realizará, por meio da Secretaria de Saúde e Defesa Civil, a Campanha de Detecção de Hepatites Virais, em consonância com as ações realizadas pelo Ministério da Saúde para marcar o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, comemorado no último domingo, dia 28. A campanha acontece até o dia 9 e objetiva prevenir a doença, além de proporcionar tratamento precoce às pessoas infectadas.
Este ano, o tema da campanha é “Hepatites Virais: sem perceber, você pode ter”. Iniciada em todo o país no dia 22 de julho, a mobilização consiste, principalmente, na testagem rápida para detectar as hepatites B e C, doenças graves que atacam o fígado, um dos órgãos mais importantes para o funcionamento do corpo humano. Em Búzios, os exames serão feitos em todos os Postos de Saúde da Família (PSFs) e na Policlínica Municipal, com a previsão de o resultado ser entregue entre 15 a 30 minutos após a realização. Para realizar o teste, basta procurar uma Unidade de Saúde munido do cartão do SUS.
São consideradas público-alvo pessoas que receberam transfusão de sangue e/ou hemoderivados antes de 1993 (antes desta data, o sangue das transfusões não era testado nem se conhecia o vírus); usuários de drogas injetáveis (cocaína, anabolizantes e complexos vitamínicos), inaláveis (cocaína) ou pipadas (crack) que compartilham ou compartilharam agulhas, seringas e cachimbos; pessoas que fizeram tatuagens, piercings e que frequentam manicures, podólogos, dentistas e cirurgiões que não obedecem as normas de segurança e não usam materiais esterilizados corretamente, além de pessoas com múltiplos parceiros e que já tiveram relações sexuais sem uso de preservativo.
Diagnóstico precoce – O Brasil é o único país em desenvolvimento no mundo que oferece diagnóstico e o tratamento universal para as hepatites virais, no Sistema Único de Saúde. Foi o país também que defendeu recomendações importantes, como a criação do Dia Mundial de Hepatites Virais como estratégia de visibilidade para o impacto dessas doenças negligenciadas, a ampliação do acesso a vacina para hepatite B para até 49 anos e a incorporação de novos medicamentos, como os inibidores de protease, para os portadores de hepatites C.
Cerca de 495 milhões de pessoas em todo o globo, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), são atingidas por essas doenças e suas complicações. Desde que foram implantados em 2011, os testes rápidos para hepatites B e C passaram de 30 mil testes naquele ano para uma expectativa, este ano, de 2,5 milhões de testes distribuídos, o que significa um aumento superior a 8.000% da oferta de testes rápidos no país.
Hepatite é um termo genérico que significa inflamação do fígado. Pode ser causada por medicamentos, doenças autoimunes, metabólicas e genéticas, álcool, substâncias tóxicas e vírus. As hepatites virais são causadas por vírus diferentes designados por letras do alfabeto (vírus A, B, C, D e E). Quando a pessoa já teve um tipo de hepatite, ela pode pegar outro tipo. Mas quando a pessoa tem um tipo de hepatite, esta não passa para outro tipo de hepatite.
A maioria das hepatites virais não têm sintomas, independe do tipo, contudo, quando apresentam sintomas são caracterizados por sintomas como cansaço, mal-estar, dor abdominal, falta de apetite e icterícia (amarelão). Em estágio crônico, a doença apresenta sintomas como cansaço, fígado aumentado, cirrose e câncer.
O diagnóstico inclui a realização de exames laboratoriais, a fim de caracterizar a doença e sua gravidade.
Hepatite A – A principal via de contágio é a fecal-oral, por contato interhumano ou por meio de água e alimentos contaminados. É muito comum onde não tem higiene, não há rede de esgoto e em épocas de enchentes.
Hepatite B – É considerada uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), ou seja, a pessoa pode pegar por meio de relação sexual sem preservativo, pois são a secreção vaginal e o sêmen que contêm o vírus. Esta hepatite também pode ser transmitida por compartilhamento de seringas e agulhas, ao se fazer tatuagens, piercings, procedimentos odontológicos, através do leite materno e de mãe para filho durante a gestação. Os postos de saúde têm vacina para este tipo de hepatite.
Hepatite C – A infecção por este vírus já é a maior responsável por cirrose e transplante hepático. Ainda não existe vacina para este tipo de hepatite, cuja principal via de transmissão é a parenteral (venosa).

Secretaria Municipal de Saúde
Imagem: Divulgação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s